Aquecimento Global mito ou verdade?

 

O Aquecimento Global, sem dúvida é uma das questões hoje mais discutidas no mundo, há uma vertente de estudiosos que sustenta a ideia de estarmos afetando diretamente a temperatura da terra através das emissões de gás do efeito estufa, são compreendidos, esses gases,  aqueles que são provenientes da queima de combustíveis fósseis, também da queima e a derrubada da madeira de florestas, da atividade industrial, dos automóveis e alguns até mencionam sobre o metano produzido por animais utilizados na criação e abate.

aquecimento global mito ou verdade

Existe uma incerteza no grau de confiabilidade de estudos e resultados. Os sistemas de simulação climática gerados por computadores não produzem resultados confiáveis, pois ainda falta muitos dados a serem incluídos e aprimorados, para que haja produção de realidade simulada ou uma projeção computadorizada dos atuais padrões climáticos.

Outros estudiosos defendem o fato que o homem talvez tenha influenciado muito pouco, para que houvesse uma mudança climática “apocalíptica”, resultante de sua prática extrativista através dos tempos.

Segundo, MOLION 2008, em seu próprio resumo do seu artigo – “Aquecimento Global: uma visão crítica”. Diz:

Nos últimos 150 anos, a temperatura média global aumentou em cerca de 0,7 ºC. Esse aumento está sendo atribuído à intensificação do efeito-estufa pelas atividades antrópicas, como queima de combustíveis fósseis e florestas tropicais, que emitem CO2 – um dos gases de efeito-estufa, porém não o mais importante – e teriam elevado sua concentração de 280 ppmv para 380 ppmv no mesmo período.

Discutiu-se criticamente a hipótese do aquecimento global antropogênico, demonstrando que ela carece de bases científicas sólidas e está fundamentada principalmente em resultados de modelos de clima (MCG), “software de simulação climática”, cujas equações matemáticas não representam adequadamente os processos físicos que ocorrem na atmosfera, particularmente o ciclo hidrológico.

“por exemplo: correntes de calor distribuídas nos oceanos.”

Ou seja, as projeções futuras dos MCG, resultantes de cenários hipotéticos, são meros exercícios acadêmicos, não confiáveis e, portanto, não utilizáveis para o planejamento das atividades humanas e o bem-estar social. Argumenta-se que a influência humana no clima, se existir, seja muito pequena e impossível de ser detectada em face da sua grande variabilidade natural.

Considerando essa variabilidade, é muito provável que ocorra um resfriamento global nos próximos 20 anos ao invés de um aquecimento. (MOLION, 2008)

Entre 800 a 1200 DC existem evidências que o clima era mais quente que o atual, os Nórdicos conhecidos como “Vikings”, colonizaram as regiões Norte do Canadá e a Groelândia. Groelândia significa “terra verde”. Atualmente a Groelândia está coberta por gelo.

Isso indica que entre 1350 e 1850 o clima se resfriou, chegando a possuir 2ºC a menos que a temperatura atual, sendo descrito pela literatura como “pequena era glacial”. Após 1850, o clima passou a se aquecer lentamente, não havendo dúvidas que houve um aquecimento global nos últimos 150 anos.

Porém existem muitos fatores que colocam em risco certas alegações sobre o aquecimento global, há estudos que indicam que houve em vários períodos o aumento da temperatura global, fatores como reflexão da radiação solar, períodos de maior atividade solar causado pelas manchas solares, diferentes tipos de núvens com reações distintas em absorver calor e repelir raios solares, oceanos mais quentes que absorvem menos CO2, e uma série de eventos climáticos como atividades vulcânicas e até mesmo os raios cósmicos galáticos que possuem ciclos geram efeitos no clima da Terra entre outros.

O homem emite 3% de todo CO2 produzido pelo Planeta, houve um aquecimento rápido entre 1925 – 1946, quando a emissão de gases era 10% do total gerado hoje, e se resfriou posteriormente 1947 – 1976, momento em que se houve um grande crescimento após a segunda guerra. O aumento de CO2 não é responsável direto pelo aumento da temperatura, mas sim a decorrência do aumento da temperatura nos oceanos, que por sua vez são influenciados por outros fatores e fenômenos, e estes por outros mais.

O Planeta vive se ajustando através de todos os tempos, há variâncias na temperatura, e as mesmas causam efeitos climáticos e catastróficos ou vice e versa.

De forma alguma essas informações permitem que possamos destruir ou poluir mais do que já fizemos. O compromisso da ciência é a busca pelo conhecimento e a verdade. Ainda prevalece a importância e a necessidade de proteger e restaurar nossas áreas de proteção ambiental, a insistência na redução da poluição antropogênica, a adoção de energia limpa e recursos renováveis como práticas essenciais para hoje e o futuro, são a chave para que as próximas gerações possam aqui viver, estudar, respeitar e amar.  Conseguindo através disto encontrar soluções e descobertas para eventos futuros, e assim por diante.

Vale a pena ler o artigo científico de Molion de 2008, “para aqueles que não se contentam com uma simples explicação”, possui bastante dados técnicos e foi profundamente pesquisado através de várias fontes de autores e cientistas, tentei fazer um resumo, mas existe muita informação importante para ser lida, para que você realmente possa entender a enorme gama de fatores que influenciam no aquecimento global.

 

Fonte: artigo cientifico sobre aquecimento global – Aquecimento Global uma Análise Crítica.pdf

COMENTÁRIOS


DEIXE O SEU COMENTÁRIO


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: